quinta-feira, 5 de março de 2020

Voltamos Itinerantes!

Sérgio Azevedo Fotos
Ator Felipe Oliveira

O ano de 2020 começou e já mudamos, nos reinventamos e seguimos o fluxo. Saímos de um espaço físico para atender em diversos lugares, escolas, cidades.
Fechamos parcerias. Nos multiplicamos. Seguimos!
Começamos fazendo a décima edição do Ator e Sua Verdade no Espaço A Nova Terra, em um dos intensivos mais incríveis dos últimos anos (janeiro de 2020). A parceria deu tão certo que agora vamos ter duas edições ao ano: uma no inverno em julho e outra no verão em Janeiro.
Em Canela voltamos ao nosso antigo lar, a D'arte Espaço Multicultural e por lá atenderemos crianças, jovens e adultos apenas na sexta-feira.
Resgatamos outra vontade e parceria antiga com a querida Patrícia Viale e sua boutique e vamos estar todas as terças em São Francisco de Paula.
O Estúdio também passa a fazer treinamento empresarial (já fazia na verdade) com enfoque nas emoções. Há uns três anos estamos desenvolvendo treinamentos em diversas empresas ma agora com foco mais específico. Também estaremos na equipe docente da Escola do Varejo em Canela realizando um módulo de desinibição. Ainda realizamos locuções, seguimos a parceria com a Rádio Clube de Canela. Também voltamos a desenvolver textos para espetáculos e eventos, sensibilização para grupos de professores. Ufa. Respira!
Seguimos com o Projeto Amigo de Café do Estúdio trazendo artistas de diversas áreas e nacionalidades para cursos rápidos por aqui. É, não estamos para brincadeira gente boa! Mãos à obra que o ano mal começou e já trabalhamos para caramba nos meses de janeiro e fevereiro.
Nosso site foi atualizado com sucesso! Nossa logo mudou! Mudamos sutilmente nosso nome. Saiu o "pesquisa" e ficou Estúdio Teatral Lisi Berti (o foco é o TEATRO como ferramenta para tudo que fazemos). Estamos felizes! Imensamente felizes e realizados. Muitos projetos tomando forma, sonhos se realizando (ainda não podemos contar).
Fica ligado nas novidades!!



Treinamento com Venezianos na Cristais de Gramado em 2019



Todos os nossos cursos e treinamentos são certificados


quinta-feira, 19 de dezembro de 2019

Edição Especial Ator e Sua Verdade 2020

Espaço Nova Terra
1. O que é o intensivo O Ator e sua Verdade?

Uma intensiva vivência , trabalhando sobre si mesmo, onde o ator/cantor/bailarino distancia-se do “representar” para aproximar-se do “apresentar”. O programa aborda provocações para transformar a verdade em concepção cênica. Intensidade entre lugar e conflito. Anseios e Desejos. Dramaturgia da minha verdade, condição do aqui e agora do corpo cênico numa perspectiva de unidade entre arte e vida.
O processo tem como objetivo potencializar a presença do ator e sua dramaturgia cênica, partindo da sua própria verdade, emocional e física, exercendo uma boa visão das ferramentas e decisões a tomar. Permitir-se desequilibrar é altamente criativo para o ato de criação. É nesses momentos de crise que a inteligência inata e a imaginação intuitiva entram em campo. O desequilíbrio é mais frutífero que a estabilidade. Convido a todos a saírem de sua “zona de conforto” e descobrir afinal, qual é a sua verdade agora?

2. Como surgiu o intensivo?

A ideia do ator e sua verdade surgiu em meio a um grande questionamento da atriz, diretora e dramaturga Lisiane Berti, após uma grande perda profissional/emocional em 2010, na qual ela viu-se sozinha e indecisa sobre a sua própria verdade enquanto atriz, diretora e pessoa. A grande destruição de valores, de ideias, as perdas, serviram para uma grande reconstrução interna e sobretudo, a forma de sentir/fazer teatro, que nunca mais foi a mesma, ressignificando escolhas. E a partir disso começou então sua pesquisa, sendo que a cada ano escolhe locais, diferentes, autores diferentes e sobretudo, inquietudes e exercícios para tirá-la da sua zona de conforto junto com as pessoas interessadas nessa descoberta sobre si mesmo.
A partir de 2018 após a conclusão da Pós-graduação em Artes Cênicas, onde seu artigo foi “A Dor como Aliada no Processo de Criação”, o enfoque do intensivo aprofundou-se ainda mais nesse questionamento específico. O que eu faço com a minha dor? Ela me ajuda ou atrapalha no meu processo criativo. Todo processo criativo inicia-se com uma vontade de dizer alguma coisa. Esse dizer não permeia apenas o campo das palavras, nem somente do corpo, mas, acima de tudo, das emoções. De que maneira podemos expressar sentimentos senão entrando fundo neles?

3. Somente atores e artistas podem participar?

 O intensivo é aberto a qualquer pessoa que não tenha medo de sair da sua zona de conforto e expressar suas emoções. De mergulhar fundo dentro de suas angústias, medos, frustrações, dores e usá-la como material criativo em qualquer profissão. Uma forma de reinventar-se! Reconhecer a dor (etapa 1), potencializar a dor (etapa 2) e transmutar transformando em processo criativo (etapa 3)  é o grande exercício deste encontro que não tem cunho terapêutico.
É sempre uma vivência libertadora, onde é proporcionada uma intensa reciclagem energética com ativação do poder pessoal. A experiência é transformadora pois, proporciona o reconhecimento das próprias dificuldades e o conhecimento da própria capacidade em superá-las. A dor existe na vida antes de existir na representação. É por isso que o teatro não tem o privilégio único de tornar presente (“re-presentar”) o dramático: também o romance, o poema, a pintura, a música, a fotografia ou o cinema. Só que o teatro torna-o presente (“apresenta-o”) precisamente através da interface do homem com o mundo: através do corpo. E o mundo da dor que o teatro encena não é apenas a reação física ou fisiológica a um estímulo. O mundo da dor é justamente isso: um mundo.

4. Local, datas e horários:

Dia: 10,11 e 12 de janeiro de 2020 (de sexta a domingo)
Local: Nova Terra RS 476 /Km 5,5 Estrada Canela-Bom Jesus (está a 12 km do centro da cidade, vai até o Saiqui, dobra a esquerda no retorno e segue mais 5 km) . Um lugar mágico onde as diversidades naturais e a mente humana convergem em uma nova etapa evolutiva. (pesquise sincronariodapaz.org)
Horário: da sexta-feira 19h até domingo 13h (não é possível sair do local e voltar a Canela)
Investimento: R$ 800,00 (curso + hospedagem + alimentação vegetariana) – não é permitido bebidas alcoólicas neste local
Número de vagas: 20 (para maiores de 16 anos) A estrutura do local é composta por três construções em formato de cúpula: o alojamento, o refeitório e a sala de práticas. Durante o intensivo, todos os participantes compartilham o alojamento. São oito quartos ao todo, distribuídos entre os dois andares da estrutura, com camas beliche.

5. Material que cada participante deve levar:

- Roupa preta básica (sem listras ou marcas, nada de jeans ou roupas apertadas demais, devem ser confortáveis);
- Pés descalços;
- Garrafinha de água e materiais para anotações;
- Uma música que neste momento de sua vida tenha a ver com sua verdade, mexa com você, o faça pensar ou questionar, como se fosse neste momento a música que definisse quem você é... (levar em pen drive no primeiro dia de aula);
- seu travesseiro;
- roupa de banho para cachoeira

6. Como efetivar sua inscrição?

1. Etapa 1:
Mandar um email para contato@estudiodepesquisateatral.com.br escrevendo porque você quer participar deste encontro? Qual sua intenção? O que te move?
2. Etapa 2: 
Enviado o email você receberá um retorno sobre sua participação. Se aprovado deverá pagar metade da sua inscrição R$ 400,00 e o restante no primeiro dia do curso ou a combinar. Este ano, diferentes de todos os anos, não reservaremos vagas se não tivermos a primeira parcela paga.
3. Etapa 3:
Será criado um grupo de whats dos inscritos para fins unicamente de localização e trocas.

Espaço Nova Terra - um lugar incrível a 12km de Canela

http://www.anovaterra.org/fotos/


DEIXE A ARTE TE ENCONTRAR!!


domingo, 27 de outubro de 2019

Simioni e sua presença potente em Canela


Carlos Simioni
Foto Sérgio Azevedo


Para encerrar o Projeto Amigo de Café do Estúdio trouxemos a Canela o ator pesquisador e fundador do Lume Teatro de Campinas/SP Carlos Simioni. O sonho era antigo, a vontade imensa e finalmente conseguimos uma data para que ele pudesse colocar sua "presença" profunda e marcante em Canela. Mesmo sem termos um espaço fomos atrás de parceiros como a D'arte Espaço Multicultural que abriu as portas, reagendou horários de aulas e nos cedeu a maior sala para que pudesse acontecer a oficina "A Presença do Ator" em três dias totalizando 15 horas de trabalho.
A Brocker Turismo nos apoiou com a passagem aérea possibilitando oficialmente todo o deslocamento do nosso querido ator a Canela, inclusive os transfers. O Grande  Hotel nos presenteou com a hospedagem, e ainda com a Sala Araucária mesmo com vários eventos no hotel para a demonstração técnica no sábado "Prisão para a Liberdade".
Mesmo com toda a loucura dos espetáculos natalinos estreando e muitas pessoas que lamentaram não poder participar porque estavam trabalhando, tivemos 14 pessoas que se entregaram a essa profunda vivência técnica sobre o trabalho do ator.
A demonstração no sábado nos atravessou de forma profunda, quando Simioni mostrou toda a sua trajetória desde o trabalho com Burnier até outras experiências incríveis que ele teve em diversos lugares do mundo e do trabalho do ator no próprio corpo. Como é o corpo que não se acomoda?Cada momento apresenta as suas cadências de libertação de energia, que se auto impulsiona e impulsiona o público para a não acomodação. A busca da liberdade é princípio permanente, que servem inclusive para não fixar nada, mas para libertar. 
Nos libertamos de muitas coisas ao compartilharmos tanto com o Simi, ele é de uma generosidade e de uma verdade que nos dilata, nos transforma, nos faz pensar, nos instiga a estudar e querer mais. Foi quem tinha de ir, ficou quem tinha de ficar. Tudo certo! O Universo sempre nos presenteia com alguma coisa de alguma forma, mesmo que no início não tenhamos entendimento.
O Estúdio de Pesquisa tem essa proposta: trazer pessoas de diferentes lugares para deixar pequenas sementes em Canela. Quem vai regar essas sementes serão as pessoas que em primeiro lugar entenderam que antes de qualquer coisa é preciso ser mestre de si mesmo. Aceitação! As mesmas que se fazem PRESENTES do seu jeito. Arte precisa de PRESENÇA! 
E fiquem tranquilos, pois já estamos pensando em 2020 e no retorno do Simioni a Canela para sua outra oficina "Voz e ação Vocal".

Deixe a Arte te Encontrar!

D'arte Espaço Multicultural

Sérgio Azevedo Fotos


sábado, 17 de agosto de 2019

Carlos Simioni em Canela


Carlos Simioni em demonstração técnica


O Projeto Amigo de Café do Estúdio encerra o ano com um super convidado, o maravilhoso e reconhecido Carlos Simioni do Lume Teatro de Campinas. 
Simioni é pesquisador, diretor, natural de Curitiba (PR), radicado em Campinas (SP), foi o primeiro discípulo de Luís Otávio Burnier, com quem fundou o LUME em 1985 e desenvolveu pesquisas nas áreas da antropologia teatral e cultura brasileira e trabalhou na elaboração, codificação e sistematização de técnicas corpóreas e vocais de representação para o ator. Atualmente participa em 08 (oito) espetáculos do Lume. Desde 1989 é ator do Grupo Internacional "VINDENES BRO" - "Ponte dos Ventos" - Dinamarca, onde desenvolve técnicas de treinamentos para o ator e atua nos espetáculos sob direção da atriz e diretora Iben Nagel Rasmussen - Odin Teatret.
É fundador e coordenador do PATUANÚ - Núcleo de Pesquisa em Dança de Ator, grupo itinerante de pesquisa, com atores e dançarinos de diversos estados brasileiros. 
Poderíamos ficar falando horas e escrevendo, porque currículo e experiência não faltam. Em Canela, o "Simi" (apelido carinhoso) estará ministrando oficina e fazendo demonstração técnica. Confere: 


1) Oficina "A Presença do Ator":
Os cursos desenvolvidos pelo LUME abordam diversos elementos que compõem o treinamento do ator, por meio da voz, da energia, da ação, da utilização de objetos, da mímesis corpórea, da utilização cômica do corpo, dentre outras. Carlos Simioni, ator pesquisador, abordará suas pesquisas desenvolvidas no Lume: a presença do ator, emanação de energia, a construção do corpo interior, e a estrutura física da voz. A presença diz respeito a algo íntimo, uma pulsação que transpassa e percorre toda a ação cênica. Neste curso trabalharemos a dilatação do corpo, a expansão da energia no espaço, o campo magnético, a transformação do peso do corpo em energia, a ação energética e a construção da presença cênica como princípios da dança pessoal, elementos técnicos desenvolvidos LUME durante décadas de pesquisa teatral.

Dias: 23, 24 e 25 de outubro de 2019
Horário: Das 17h às 22h
Local: D'arte Espaço Multicultural (Rua Fernando Ferrari, 127 - Canela)
Valor: R$ 400,00
Inscrições: contato@estudiodepesquisateatral.com.br ou (54)98104.4404 com Lisi Berti

2) Demonstração Técnica " Prisão para a Liberdade":

Dia: 26/10/2019
Horário: 20h30min
Local: Sala Araucária do Grande Hotel Canela

Sinopse:
Nesta demonstração de trabalho, o ator Carlos Simioni aborda a própria trajetória junto do Lume e revela que a técnica pode ser tanto uma prisão quanto um trampolim para o ator. Fala sobre o percurso desde a fundação do Lume, em 1985, seu encontro com os mestres de teatro, as técnicas desenvolvidas junto do grupo, como o treinamento físico cotidiano, a construção de técnicas de expansão e dilatação do corpo no espaço e no tempo, técnicas de manipulação de diferentes qualidades de energias e sua distribuição no espaço, além do treinamento vocal e elaboração de personagens e construção de cenas. Prisão para a Liberdade foi apresentado no Brasil, Estados Unidos da América, Itália, Dinamarca, Bélgica, Costa Rica, Colômbia e Portugal.

FICHA TÉCNICA
Concepção e atuação: Carlos Simioni
Apoio administrativo: Giselle Bastos
Design gráfico e fotos: Arthur Amaral
 Registro audiovisual: Alessandro Poeta Soave
Realização: LUME Teatro
Duração: 100min
Faixa etária: 14 anos
ENTRADA GRATUITA

Prisão para a Liberdade - Carlos Simioni

Patrocínio: Brocker Turismo e Grande Hotel Canela
Apoio Cultural: D'arte Espaço Multicultural
Realização: Estúdio de Pesquisa Teatral Cia Lisi Berti


Arte Paula Basei




Quer saber mais do Lume? Acesso lumeteatro.com.br 

DEIXE A ARTE TE ENCONTRAR!!




sexta-feira, 28 de junho de 2019

A Experiência de trabalhar com a Máscara Neutra

Confecção de Samara Barros


A turma de Estilos Teatrais (turma de quinta-feira a noite) está estudando no mês de junho a máscara neutra. Este estudo busca evidenciar as possibilidades que a máscara neutra traz para a construção da cena e para a formação do ator. Fundamenta-se nas perspectivas desenvolvidas por Jacques Copeau, um dos precursores do treinamento com a máscara inexpressiva, e Jacques Lecoq que, influenciado por Copeau aprofundou a técnica. O objetivo desses treinamento é fazer com que o ator se disponha a abrir mão de sua natureza própria, perdendo seu rosto e sua alma para viver outras aparências, de modo que um bom ator é aquele que mais consegue sacrificar seu personalismo. Tudo o que oferece é o que possui de si mesmo, podendo considerar-se como matéria e instrumento de sua arte.
Desprovido do rosto e da palavra, o ator tem seu corpo como o único instrumento para levá-lo até o silêncio que põe à prova a verdade da atuação, sendo assim, a máscara revela; o rosto que utilizamos em vida perde o sentido, e todos os movimentos passam a se mostrar com especial potência (LECOQ, 2003, p. 63).



Na noite da última quinta-feira, dia 27 de junho das 19h às 21h propus aos alunos uma saída de campo para laboratório. Era uma noite agradável, fomos até a Estação Campos Canella (bem central) e na praça. Tínhamos alguns códigos estabelecidos. Um ritual para colocar a máscara silenciosa, espalhar-se, não criar cena, não contracenar com colegas. Não havia história, nem passado, nem conflito, nem personagem. Eram eles, atores disponíveis experenciando tudo pela primeira vez. O ar, os cheiros, as cores, os elementos da rua, a observação das pessoas, as reações sem pensamento pré-estabelecido num processo de receptividade, descoberta e disponibilidade. Os alunos ficaram imersos nessa experiência em torno de uma hora, se deslocaram entre praça e estação. Nos reunimos ao som do meu "toque', ritualizamos o tirar a máscara, voltamos ao Estúdio de Pesquisa em total silêncio e conversamos sobre as sensações de cada um. É importante que se estabeleça o silêncio tanto do ator consigo mesmo quanto do ator com o espaço no qual está inserido na cena.


A máscara reúne nesta mesma “vida” que existe no mundo e na qual cada um pode se reconhecer. Não há maneira de caminhar, ela caminha. Ela nos faz descobrir o espaço, o ritmo e a gravidade das coisas: a dinâmica do medo, da inveja, da cólera, do orgulho, pertence a todos
(LECOQ, 1987, p. 115).

Seguem abaixo alguns relatos dos alunos após os exercícios de máscara neutra:

"Experiência  de observar aos outros, ao que nos rodeia e a nós mesmos . A sensação de saber que estava sendo observado pela estranheza de estar num ambiente sem nenhuma interação com outras pessoas fez me sentir que ao mesmo tempo que a neutralidade se torna incômoda, também  contagia quem está tentando entender a situação, pois depois de algum tempo as outras pessoas  começaram a estar neutras com relação a nossa presença.
O estar neutro aguça as percepções relacionadas à visão, audição  e o tato, nos levando a observar e absorver  sensações  até então pouco perceptíveis." ( Carlos Giovane Nunes -34 anos)

"Então foi uma experiência muito grande que me envolveu de uma forma que eu não sabia nem o que estava acontecendo, e sim sentido tudo ao meu redor. Com essa neutralidade que consegui aprender a me sentir melhor." (Tamara -  39 anos)



"Experiência de observar coisas que na correria do cotidiano não observamos, ver coisas em mínimos detalhes, coisas que queremos fazer mas não podemos só pelo estado de estar neutro, o que exige muita concentração, foco e respiração. " (Letícia - 21 anos)

"Ao colocar a máscara neutra  meu corpo se abriu para um  universo de novos sons,novas sensações,a sentimentos escondidos.Descobri dentro de mim um outro EU, que sem esse novo rosto neutro seria impossível descobrir." (Felipe Araújo, 27 anos)

"É um mundo paralelo. Entra-se num estado alterado de consciência, onde a nossa percepção amplia, bem como todos os nossos sentidos... É um misto de magia e Liberdade o fato de nos despojarmos da personalidade e  da necessidade de nos sentirmos na "obrigação" de interagirmos com quem interage conosco. É um mergulho no silêncio do Eu..." (Evelise Fagundes. 62 anos)

"Sensação de renascer, como se tudo fosse novo e precisasse ser entendido de onde vem e pra onde vai, necessidade de sentir cada textura; senti  o frio mais intenso, as texturas diferentes, talvez o detalhe de ser o momento só meu e do objeto, anulei tudo ao meu redor e me concentrei em ouvir, tocar, sentir tudo com com a intensidade de como se fosse a primeira vez!" (Joana de Moraes 29 anos)

"Com a máscara neutra eu me permiti observar e sentir muito além do que normalmente estamos acostumados, observar as pessoas e suas ações sem se preocupar com julgamentos porque naquele momento tu está neutro e ninguém sabe quem tu é de verdade foi libertador." (Ingrid Pokomaier - 18 anos)

"A máscara deixa todos os nossos sentidos mais disponíveis. Parece que realmente estamos caminhando, tocando, cheirando, ouvindo pela primeira vez. E é muito gostosa essa sensação. Até o ar que entra pelas narinas tem uma temperatura diferente. A luz sobre os objetos também adquire mais brilho. Um exercício de disponibilidade e auto conhecimento. Agradeço por ter tido esta oportunidade."  (Fernanda, 32 anos)

                                                   



















Coordenação: Lisiane Berti

quinta-feira, 20 de junho de 2019

Oficinas de Inverno no Estúdio


Confere a programação especial que  vai rolar no Estúdio no mês de julho!!!



1. Para os adultos:



Para os adultos e amantes do Flamenco, a professora Edel Ramos está oferecendo várias oficinas dando noções de sapateado, técnica de braços, onde o  ritmo trabalhado será o tango flamenco. Os alunos vão ainda experenciar um pouco sobre a origem e cultura flamenca e não precisam ter nenhuma experiência prévia em dança.
Seguem as informações:
1) Oficina Iniciantes de Flamenco com Edelweiss Ramos:
Turma 1 – dias 3, 4 e 5 de julho das 19h às 20h30min
Turma 2 – dias 8,9 e 10 de julho das 19h às 20h30min
2) Workshop com Ana Cândida Amaral:
No dia 20 de julho a diretora da Campana Flamenca – Escola de Dança de Novo Hamburgo, Ana Cândida Amaral que já esteve em Canela realizando apresentações e teve uma participação especial no Show com Letícia Spiller, estará fazendo um workshop específico de flamenco. Sua escola de dança dedica-se exclusivamente ao ensino e prática do flamenco com mais de 15 anos.
Ana iniciou seus estudos no grupo Alegrias de España, fez parte da Cia de Dança do Tablado Andaluz, com quem mantém parceria até hoje e aperfeiçoa sua técnica com constantes cursos de artistas renomados nacionais e internacionais. Neste workshop haverá duas turmas, um para iniciantes e outra para alunos já iniciados no Flamenco.
3) Show de Flamenco:
E no dia 27 de julho para encerrar o mês de imersão no Flamenco, Ana Cândida se apresenta no Aroma Literário juntamente com as alunas de flamenco da professora Edelweiss Ramos do Estúdio de Pesquisa. Os ingressos podem ser adquiridos no local por R$ 40,00.
Informações e inscrições para as oficinas são diretamente com a professora Edel Ramos pelo email edel.ramos@bol.com.br ou pelo telefone 54999121309

2. Para as crianças:




Para as crianças vai rolar uma Oficina de Educação Emocional com a kidcoaching Josi Fogaça do dia 22 a 26 de julho das 14h às 17h. A Educação emocional é fundamental para as relações interpessoais, mas antes de lidar com as emoções do outro é necessário aprendermos a lidar com as nossas. Este é o objetivo da oficina, levar a criança a vivenciar suas emoções, identifica-las e principalmente saber usar de forma positiva. Para esta oficina há somente 10 vagas e as inscrições podem ser feitas diretamente com a professora Josi por email josicandidofogaca@gmail.com ou por telefone 54981330504. O investimento é de R$ 250,00 (à vista) ou R$ 290,00 (parcelado).

3. Para os teatreiros de plantão:

Quem volta a Canela é o ator e preparador de elenco  Marcelo Aquino, atual advogado Lunes da novela global Verão 90. Marcelo ministrará uma rápida oficina Dramaturgias do Corpo Espaço, uma proposta de treinamento prático para atores e bailarinos. A oficina acontecerá nos dias 20 e 21 de julho (sábado e domingo). Sábado das 14h às 17h e das 18h às 21h e domingo das 9h às 13h. O investimento é de R$ 200,00.



quarta-feira, 22 de maio de 2019

Radionovelas agora na AM e na FM da Clube



Em seus oitenta anos de existência, o rádio brasileiro lançou modas, ultrapassou barreiras geográficas, revolucionou práticas cotidianas, inventou e consolidou gêneros de programas de enorme sucesso. Nas décadas de 1940 e 1950 o número de emissoras de rádio cresceu vertiginosamente, exercendo uma atração tal sobre o público ouvinte que fez com que o período entrasse para história como os “anos dourados do rádio brasileiro”. As radionovelas ocuparam um lugar de destaque nesse período. O público-alvo das radionovelas era o feminino. Os grandes anunciantes desse tipo de programação eram, em geral, os fabricantes de produtos de limpeza e de higiene pessoal. Uma pesquisa do Ibope, realizada em janeiro de 1944, apontava a seguinte audiência para o período de 10h às 11h da manhã: 69,9% de mulheres, 19,5% de homens e 10,6% de crianças (Ibope, 1944).
Em Canela, as radionovelas voltaram a entrar em circulação na parceria do Estúdio de Pesquisa Teatral Cia Lisi Berti e a Rádio Clube. A ideia se desenvolveu a partir do projeto "Canela, Mulheres e Histórias" que pesquisou e homenageou algumas mulheres da cidade, entre elas, Roma Vaccari, uma das primeiras dramaturgas da cidade e atriz de radionovela. Em março foi ao ar a primeira rádionovela "O Escravo", texto escrito em 1940 por Dona Roma na AM 1320 sempre às 14h e somente aos domingos. O sucesso foi tão grande que jornais do Estado começaram a contatar, autores enviaram textos que a Rádio Clube decidiu colocar em pequenos episódios também na FM em horário nobre (de segunda a sexta às 18h) para que o público começasse a se familiarizar com esse retorno da era de ouro da rádio.
Depois de muitos ajustes, testes e alguns meses de adaptações, a programação das radionovelas a partir de junho funcionará da seguinte maneira:

Domingos - 14h30min (AM 1320) e 22h (FM 88,5) e nas sextas às 18h vai rolar o "Conto da Sexta" às 18h (contos curtos de no máximo cinco minutos).

Rodrigo Zimmer, 29 anos, editor das rádionovelas comenta: "diferente da época de ouro das radio novelas, onde todo o trabalho de foley e sonoplastia eram feitos na hora, como uma apresentação mesmo, num primeiro momento parece que o encanto se perde um pouco. Mas por outro lado, neste mundo atual e tecnológico, conseguimos fazer com que a imaginação do ouvinte se transporte para um cenário mágico. O desafio é implantar a ideia toda sem ter a imagem, e no meu caso, extremamente desafiador. A algum tempo, parte do meu trabalho é produzir áudio dinâmico para games, dando sons a imagens, criando atmosferas de ambientes visuais, e com a radio novela o processo se torna inverso disso tudo. E o que deixa mais curioso, é que o radio, uma das formas mais antiga de comunicação se mantem atualizada e dentro do jogo, num mundo cheio de opções de entretenimento."


Rodrigo Zimmer - editor de sonoplastia das radionovelas


Lisiane Berti diretora e roteirista de algumas radionovelas informa que tem um grupo fixo de atores da cidade de Canela que participa e grava a maioria das radionovelas, e dependendo as histórias há atores convidados. Os textos são selecionados pensando em questões como temáticas, tempo de duração, número de personagens para que se encaixe no formato radionovela e consiga encantar o público, que agora será da AM e FM, bem distintos. A valorização dos autores da cidade e do Estado também é levado em conta, visto que o Estúdio de Pesquisa tem recebido muitos materiais para suas gravações. O sucesso do projeto foi além da expectativa e por isso foi necessário se fazer algumas adaptações. Mas o grande protagonista é o editor de sonoplastia, ele é o responsável pela "mágica". Irá ao ar também uma vez ao mês, uma história da cidade de Canela, como por exemplo "A Chegada do trem", Construção da Igreja...
O elenco fixo de atores é formado por: Caio Libardi, Edel Ramos, Guga Freitas, Luis Felipe Raimundo, Míriam Torres, Pedro Campos e Rita Reis.

Quer saber mais sobre esse projeto? É escritor e gostaria de ver um texto seu se transformar em radionovela? Tem uma boa voz, lê bem e gostaria de gravar algum episódio? Fala com a gente!
Email: contato@estudiodepesquisateatral.com.br

Fica ligado na programação da Clube AM e FM:

Perdeu a rádionovela? Pode procurar no Spotfy da Rádio.